2007/03/29

Comunicar Ciência em Portugal

II Encontro Comunicar Ciência em Portugal, agendado para 16 de Junho (um Sábado), no Instituto de Biologia Molecular e Celular, no Porto. Oradores convidados:


Encontro Linux 2007

À semelhança de anos anteriores, o V Encontro Nacional de Tecnologia Aberta deste ano (2007) vai ser no Auditório do Lispólis. Dia 19 de Abril, uma 5ª feira... possível encontro para os Asteriscos do Planeta ;-)


2007/03/23

Percepções

Como as minhas percepções podem não contemplar um leque suficientemente alargado e diversificado de situações, deixo um convite aberto e agradeço desde já a todos os que se queiram disponibilizar a responder a estas 4 questões. Podem também deixar ficar comentários adicionais nesta entrada :-)

2007/03/22

Como estão as empresas a utilizar a web2.0?

Estratégias para a Sociedade da Informação

Ainda há lugares para o debate com os partidos políticos sobre “Estratégias para a Sociedade da Informação”. Inscrições aqui (envio de email ou por telefone 212 949 606).

2007/03/20

Quanto vale uma opinião?

Com base na observação do Pedro Fonseca (CF&A), sobre uma aparente estabilidade nos acessos domésticos à internet, durante o ano de 2006, sobre os resultados apresentados pela Marktest, acrescento algumas observações que poderão ajudar a explorar terrenos que não estão a ser considerados e que podem levar a interpretações incompletas.

Numa primeira leitura ao gráfico disponibilizado pela Marktest (reproduzido a seguir), somos todos levados a concluir o que parece óbvio. Os acessos domésticos à internet, durante o ano de 2006, foram relativamente estáveis, havendo até uma pequena queda nos últimos 2 meses do ano.

Segundo informação disponibilizada pela Marktest, a recolha de informação por um painel de utilizadores recrutados, o NetPanel, é feita da seguinte forma:
"A actividade na Internet de todos os indivíduos do painel é acompanhada por um programa especialmente desenvolvido pela Marktest - Netpanel Online, previamente instalado nos computadores dos painelistas. A informação é registada de uma forma automática, e imediatamente enviada para a Marktest, onde é depois validada e processada."
O que acontece então, se ao longo do ano de 2006, foram adquiridos mais computadores para o lar, também eles com acesso à internet? O que acontece de cada vez que um computador tem que ser formatado? O que acontece quando nesses mesmos lares adquiriram dispositivos de acesso wireless (TMN, OPTIMUS, VODAPHONE, outros)?

Outro tipo de perguntas que podemos colocar: o que acontece em relação aos acessos no local de trabalho? Para o mesmo período, registou-se aumento? Poderá estar relacionado com o decréscimo de rendimentos das famílias? E de que forma é que estes valores podem reflectir um estilo de vida mais móvel?

Na secção de metodologia (que descreve a forma como são recolhidos os dados, com base em que critérios e, como tal, o tipo de conclusões que podemos extrair e que generalizações se podem fazer), encontramos descrições que nos podem levantar outras questões a ter em conta, quando apreciamos os resultados:
"O Netpanel representa os indivíduos com mais de 4 anos, residentes em lares do Continente, nos quais pelo menos um indivíduo tenha utilizado a Internet nos últimos dois meses no Lar. Por se tratar de um universo em rápida mudança, o seu tamanho e composição serão actualizados frequentemente, com base nos dados do Estudo de Base - Bareme Internet." [negrito meu]
Com que frequência está a ser este painel actualizado? Ainda reflecte o universo em estudo? Não encontrei dados no site para responder a esta pergunta.

A aparente credibilidade que se tenta dar aos estudos, através da utilização de dados quantitativos, não é suficiente para os tornar credíveis. Na correria dos quotidianos, quantos de nós vão absorvendo dados que tomamos pelo seu valor facial? Quantos de nós generalizamos o que não é passivel de generalização? Quantos de nós se dão ao trabalho de averiguar a credibilidade, os pressupostos, a metodologia dos mesmos? Quantos de nós, temos competências que nos permitam fazê-lo?

No entanto, todos nós somos livres de opinar e de veicular as nossas opiniões, por este (blog) ou outros meios, tal como eu fiz!

2007/03/15

Doing the obvious

Having a hard time to explain why you can't just think of the best tools available to say that your organization has a «blogging platform» (not even sure what they mean by that). Yesterday i was trying to explain that you need to see the «big picture» for being able to integrate blogging in the organization's information flow.

I've tried to explain that it is not about buying a server, it is not about installing a blog engine, it is not about controlling access.

Blogging is a tool but it is not about tools. Blogging is having a culture of sharing, and employees are not going to start sharing just because they have blogs (the ones that like sharing are very probably doing it already, either with blogs or something else). Blogging is about creating a culture where people do not fear to say what they think. Blogging is not about «build it and they will come». People need to understand what it is not working that blogging can help.

So why do you want blogging for? How do you see blogging in your organization's communication strategy (improve internal communication, integrate it with your KM efforts, foster good will in your environment, expand your networks, attract talent, all of them, other)?

Cause you know, to choose a blogging tool, you need to understand the organization so you can choose it according to the needs of the people that are going to use it.

If blogging for you starts and ends with a tool, maybe it's best you do the obvious: do nothing.

2007/03/14

Grupo não organizado a não substimar...

PS [26/Março/2007] - O Vitor descobriu o poder deste grupo não organizado. Ainda há quem não saiba quem é este grupo?

"Este grupo é muito mais poderoso do que a Mafia, do que o Complexo Militar-Industrial ou do que a Internacional Comunista. É um grupo não organizado, que não faz parte de qualquer associação, que não tem chefe, nem presidente, nem estatuto, mas que, todavia, consegue operar em perfeita sintonia, como se fosse guiado por uma mão invisível, de tal modo que as actividades de cada membro contribuem potencialmente para o fortalecimento e amplificação da eficácia da actividade de todos os outros membros. (...)

As páginas seguintes são antes o resultado de um esforço construtivo para investigar, conhecer e, se possível, neutralizar uma das mais poderosas e obscuras forças que impedem o crescimento do bem-estar e da felicidade humana."
Para ler páginas seguintes: Cipolla, C. M. (2002). Allegro ma non Troppo. Oeiras: Celta.


Desenvolver confiança organizacional com blogs

Paul Dwyer (2007), Building Trust with Corporate Blogs, International Conference on Weblogs and Social Media, USa, Colorado, March 26-28:
"By restoring a human face to a company’s self-presentation, blogging has been heralded as a paradigm shift in the way companies interact with customers. This study tests a model relating the content of an author's blog posts to readers' responses. It suggests that companies can use blogging to complement customer relationship management processes to the extent their customers exhibit an organic desire to commune by combining provocative informational content with expressions of benevolent intent. Such consumers respond well to these overtures, showing evidence of increased subject-matter involvement, liking and trust."

Análise da rede de blogs internos da IBM

Pranam Kolari, Tim Finin, Yelena Yesha, Yaacov Yesha, Kelly Lyons, Stephen Perelgut and Jen Hawkins (2007), On the Structure, Properties and Utility of Internal Corporate Blogs, International Conference on Weblogs and Social Media, USa, Colorado, March 26-28:
"While at the minimum blogs empower employees to publicly voice opinion and share expertise, collectively they improve collaboration and enable internal business intelligence. Though the power of blogs within organizations is well accepted, their properties, structure and utility has not yet been formally analyzed. In this paper, we study the use of blogs within a large corporation to reveal some of the interesting characteristics."
"We are now focusing our study on the network characteristics of internal blogs, specifically on how the more explicit social models of employee hierarchy interplays with those materialized through blogs and how blogs are enabling a flatter organization."

web2.0: linking people to machine to us

From The Machine is Us/ing Us (final version):

When we post and then tag pictures, we are teaching the machine. Each time we forge a link, we teach it an idea. Think (...)!

(...) rethink a few things...

... copyright
... authorship
... identity
... ethics
... aesthetics
... rhetorics
... governance
... privacy
... commerce
... love
... family

We'll need to rethink ourselves.
I'm adding: ... censorship & access!

You where right. It would, if only I could ;-)

2007/03/08

Mulheres e TIC = Oportunidades de carreira

Women's careers and ICT: An untapped potential:
"With Europe facing a skills shortage in this sector, we must encourage more women to study ICT subjects and to take up a career in this field, so as to increase capacity of the workforce and to tap into women's creative potential."
Entre outras iniciativas, e como prova dessa preocupação, a Comissão Europeia promove o Website IT Girls:
"A dedicated website acting as an information forum, highlighting the different activities going on in this area, and giving advice and information for young women considering ICT and companies which would like to know more or get involved."
Sorry boys, esta não é para vocês!... Podem contudo seguir as filmagens que foram feitas das 6 IT girls rumo a uma carreira de sucesso ;-)

2007/03/06

Ciência Partilhada, Livre Acesso e Blogs

Ferramentas que aumentam a dinâmica da publicação, tal como os blogs, trazem novas realidades no campo da ciência e da investigação, enriquecendo artigos e publicações que se tornam documentos vivos. Notícia a ler na integra:The New Science of Sharing
"(...) rapid, iterative, and open-access publishing will engage a much greater proportion of the scientific community in the peer-review process. Conventional paper-based scientific journals, meanwhile, will be augmented by dynamic publishing tools such as blogs, wikis, Web-enabled RSS feeds, and podcasts that turn scientific publications into living documents. Projects such as MIT's OpenWetWare are already doing this."