2007/05/23

Atitude 2.0 versus Parasitismo 2.0

Pegando na frase do Bruno que toca na questão de fundo da Web 2.0,
"(...) diferença entre a utilização de um conjunto de ferramentas tecnológicas e a mudança na forma como se comunica, trabalha e aprende"
gostaria de acrescentar algo mais para a discussão, que pode ser considerado uma provocação. Seja!

No início da web, algumas pessoas tinham a capacidade de deixar os seus registos, a dita web 1.0, em que poucos criavam e muitos liam. Nessa altura, podia-se atribuir a falta de partilha a interfaces pouco amigáveis. Nesse sentido, estávamos perante barreiras tecnológicas à partilha. Podiam-se aqui incluir a falta de infraestruturas de comunicação (redes), as dificuldades de acesso e os custos que representavam (onde se incluía a curva de aprendizagem).

Com a divulgação e crescente disponibilização de interfaces amigáveis e de baixo custo (as tais ferramentas que vieram permitir a participação de não especialistas) e a melhoria das infraestruturas, o caminho estava aberto para a participação de muito mais pessoas (não esquecer, que nem todos temos ainda acesso, como podem verificar abrindo um dos muitos relatórios existentes).

Só que esta participação, apesar de ter aumentado, não se traduz na participação activa de todos aqueles que têm acesso a estas ferramentas e que permitem fazer da web a tal rede de leitura e escrita, que abreviadamente é apelidada da palavra tão sonora, web 2.0. Como diz o Bruno,
"(...) acho que a web 2.0 pode ser um auxiliar precioso mas apenas se existir uma postura pessoal que seja também 2.0 e isso constitui logo metade do necessário para acompanhar a referida tecnologia."
Pelo muito que fui colhendo de todos aqueles que me foram ajudando, ao longo do tempo, nesta teia e fora dela, foi crescendo a quase obrigação de partilhar com os outros aquilo que fui encontrando, o que fui experimentando e que acho que poderá ser útil a outros. Será sem dúvida uma parca contribuição em comparação com o que todos me foram dando. Muitos deles sem o saberem, mas que podem encontrar aqui e noutros espaços, o registo das suas impressões em mim. Tal como num artigo deixamos as referências dos autores que sustentam as nossas reflexões, também aqui encontrarão as referências (sob a forma de hiperlinks, citações, nomeações, referências a trabalhos, conversas...) a muitas pessoas.

Que dizer então de quem continua a beber da web e a não partilhar, quando já nem se podem escudar nas dificuldades tecnológicas? Ocorre-me parasitismo (nas suas mais diversas manifestações), talvez escudado na falta de:
  • tempo
  • jeito
  • confiança
  • relevância
  • autoridade
  • coloquem outra-desculpa-qualquer nos comentários!

1 comment:

  1. Olá, Mónica
    Quando escrevi o post sobre a postura 2.0 estava a pensar numa situação muito concreta. Contudo, para já prefiro pensar que na maioria das vezes tudo se resume a insegurança, mas que pode muito facilmente transformar-se em egoísmo e até mesmo parasitismo.
    Obrigado pela referência.

    ReplyDelete