2006/10/24

Dicas para implementar software social ...

... nas organizações, by Euan Semple, numa entrevista feita por Ana Neves da KMOL, com base na experiência de implementação na BBC:
"Não fale de gestão de conhecimento. Não gaste muito dinheiro. A maior parte desta tecnoologia é simples e barata. Crie um sentido de responsabilidade partilhada. Encoraje os utilizadores a serem responsáveis pelo ambiente e por como é usado e gerido. Quando as coisas correm mal, faça perguntas interessantes sobre o “porquê” em vez de ralhar com as pessoas, e deixe-as decidir a resposta adequada. Seja paciente."
Durante o SHiFT, ele acrescentou algo mais que não encontrei na entrevista: é preciso ter paixão e acreditar que a mudança se faz em cada um de nós. Nas minhas reflexões acrescentei: para inovar é necessário transgredir o que está instituído como norma (a tão velha frase do "porque sempre se fez assim") até que a inovação seja incorporada, passando ela a ser a (nova) norma. Claro que também ajuda estar numa posição de topo e poder dizer: faça-se (tal como relembrava a Lilia, em referência ao elevado lugar hierárquico ocupado por Euan Semple na altura dentro da BBC ;-)

2006/10/17

Dados para estudo de blogoespaço .pt

O Ricardo alargou o debate iniciado no 3º Encontro, sobre «qual é o motivo de ainda continuarem a optar pelo blogspot?», lançado pela Mª João Nogueira, no passado sábado, na antiga Reitoria da Universidade do Porto. Entre os vários contributos que já recolheu, quem estiver interessado em estudar o blogoespaço ;-) pode contar com a disponibilização de dados pela sapo, segundo alguns critérios:
"1 - Não comprometer de nenhuma forma a privacidade dos Utilizadores.
2 - Não comprometer estratégias comerciais.
3 - Serem dados que possam regressar á comunidade, servindo-a.
4 - O projecto/grupo que solicita os dados, fundamente esse pedido, e indique/identifique qual o trabalho/projecto/propósito com que vai usar esses dados.

Assim, e no que especificamente diz respeito aos Blogs e à comunidade académica, teremos todo o gosto em receber pedidos, analisá-los e responder-lhes. É óbvio que somos parte interessada, e tudo o que nos permitir conhecer melhor os nossos utilizadores, e de caminho dar a conhecer melhor a todos o estado dos Blogs em Portugal, é útil."

2006/10/15

Creative Commons em Pt

Em conversa com o Hugo, fiquei a saber que estará para breve a publicação em Diário da República do diploma que regulará a extenção da licença Creative Commons para Portugal. Enquanto não chega, fica o apontador para a secção Portuguesa, com indicação dos respectivos lideres de projecto:
Creative Commons Worldwide: Portugal- "Creative Commons is working with FCEE-Católica, INTELI, and UMIC to create Portugal jurisdiction-specific licenses from the generic Creative Commons licenses."

Knowing Knowledge by George Siemens


Originally uploaded by gsiemens.
Um livro de George Siemens aberto a comentários e colaborações atraves do espaço wiki oferecido ou secção de comentários.

Existe um conjunto de imagens no flickr que ilustram conceitos complexos e que são utilizados para ilustrar o conteúdo do livro, distribuído ao longo dos capítulos.

2006/10/13

Notas sobre o encontro de weblogs

Apenas umas breves notas para quem pretender acompanhar o que se está a discutir aqui na Universidade do Porto, no 3º Encontro Nacional e 1º Encontro Luso-Galaico de Weblogs:
tags: ;

2006/10/11

Novas estratégias de presença online

Pela Active Media Solutions (que começou a utilizar um blog, em Junho deste ano, para chegar mais perto dos seus clientes e dar mais visibilidade aos seus serviços e competências) fiquei a saber que vão estar na origem da renovação da presença online da Active Media, e que vai fazer parte desta estratégia a existência de um blog:
"Há muitos anos a dar cartas na área da comunicação, a Única não quis ficar de fora da nova Web participativa e irá ter em anexo ao site, um blog implementado pela Active media, sob plataforma da wordpress."
De forma explicita a utilizar blogs em Portugal, temos até à data (e que tenha registado aqui), entidades de vários sectores:

- Media
- Publicidade
- Comunicação
- Tecnologia
- Bibliotecas
- Educação(vários níveis de ensino) e Ciência
- Câmaras municipais
- Organismos do sector público
- Multinacionais a operar em Portugal
- Associações
- Arts&Crafts
- ... outras de que não tenha aqui falado?

2006/10/08

Blog SWOT organizacional

Recordando o encontro que decorreu o ano passado na UBI, lá iremos estar este ano, no 3º Encontro que vai decorrer na Universidade do Porto, para continuar a dedicar a nossa atenção aos blogs no contexto organizacional. Desta vez, através da identificação de pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças (SWOT) na utilização de blogs no contexto das organizações:
"Procura-se analisar o impacto potencial dos weblogs nas organizações, salientando a relevância de determinadas características desta ferramenta de comunicação mediada por computador, centrada no utilizador, perante algumas das características das organizações. Mais exactamente, como é que o blog, sendo simples de utilizar, tecnicamente acessível e de custo praticamente nulo (para além da infra-estrutura de suporte), se converte num meio acessível desde grandes a micro-empresas onde, nestas últimas, já se verificam múltiplos exemplos de utilização, sendo meio e condicionante na multiplicação de valor. A utilização dos critérios de análise SWOT constitui-se como estrutura de base desta comunicação, com vista a alargar o leque de situações e contextos de utilização." [André, Mónica & Cardoso, Margarida (2006). Blog SWOT Organizacional. 3º Encontro Nacional e 1º Encontro Luso-Galaico sobre Weblogs, 13 & 14 Outubro de 2006, Porto: Universidade do Porto, Portugal]
Também por lá vão estar? Interessados em discutir estas questões?...

tags: ; ; ; ;

2006/10/07

ROS ou return of sharing... by blogs!

Inicialmente os gestores de conteúdos individuais (tipo blogger.com), só nos permitiam escrever, incorporar links e incorporar imagens que tinham que estar alojadas nalgum servidor (o que não estava ao alcance da maioria das pessoas). Isto claro, para aqueles que como eu, não queriam perder mais do que uns minutos com o blog (... sem tempo para aprofundar linguagens que permitiam fazer muito mais do que existia ;-)

Ao longo dos anos, o blogger (e muitas outras ferramentas existentes!) foi permitindo fazer muito mais, de forma mais fácil e mais rápida. A par dos blogs e da rápida dissiminação que estes permitiram, indivíduos começaram a disponibilizar linhas de código prontas a serem inseridas por não especialistas, e que permitiam ir fazendo mais com esta ferramenta.

Novas aplicações começaram a proliferar como resposta a necessidades que eram enunciadas pelos utilizadores e outras que ainda não tinham sido antecipadas mas que vieram a mostrar-se de grande utilidade. Todas elas passíveis de utilização e utilidade em si mesmas ou, muitas delas, permitindo a integração com outros sistemas de gestão de conteúdos, tal como os espaços blog. O que me levou a considerar o «espaço blog» como uma canvas (tela), onde vamos incorporando, à medida das nossas necessidades, outras aplicações ou micro soluções.

Claro que a oferta crescente de espaços individuais para armazenar, classificar e disponibilizar informação, sem custos adicionais, também favoreceu e eliminou obstáculos técnicos que existiam para a partilha. Ou seja, a partilha podia ser vista como um esforço adicional e uma sobrecarga, tanto maior quanto mais sobrecarregadas as rotinas de cada um, sem que fossem percebidos os retornos desse esforço (aqui estariamos a falar do ROI individual de cada um, e por isso prefiro utilizar a expressão «return of sharing» ou ROS :-)

O software social (social software que contribuiu para que esta nova forma estar na web fosse apelidada de web2.0) veio mostrar que as pessoas usam as tecnologias desde que estas resolvam os seus problemas/necessidades individuais, as suas necessidades de comunicar e partilhar escolhendo a forma como o querem fazer e que através dessa partilha acabam por colher do benefício do que outros estão a partilhar.

Longa conversa para introduzir mais uma ferramenta que já há muito tempo vinha sentindo falta, o que me levava a utilizar outras estratégias (mais morosas, como o flickr, em que cada slide era tratado como uma imagem, depois agrupado por palavras-chave e depois acopolado a uma linha de código que permitia inseri-lo numa entrada de um blog) para partilhar algo tão simples, quanto uma apresentação pública (os slides de power point, tanta vezes requeridos no final das comunicações). Agora tão simples quanto gravar um ficheiro (depende muito da largura de banda disponível), através do slideshare beta (tenho ainda convites para quem quiser :-)

Cá fica a versão slideshare da nossa última apresentação:




tags: ; ; ;

2006/10/03

Não basta estar extinto!

DR 191 SÉRIE I de 2006-10-03, Resolução do Conselho de Ministros n.º 124/2006, procede-se à reforma do sistema dos laboratórios do Estado.

No ponto 5, do ANEXO para a Reforma do Sistema dos Laboratórios do Estado, pode ler-se:
"É extinto o Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação (INETI), sendo os seus recursos científicos e tecnológicos, humanos e materiais reorganizados e integrados noutros laboratórios, centros tecnológicos, instituições de ensino superior e consórcios a criar. Em particular, as infra-estruturas do INETI transformam-se em parque de ciência e tecnologia com a participação e gestão de universidades, laboratórios associados e laboratórios do Estado e alargam-se a parcerias com empresas, no quadro de projectos definidos, organizando-se ainda como espaço de acolhimento de programas europeus de I&D."
Mais à frente, no ponto 23, interrogo-me o que querem dizer quando referem a aplicação da legislação sobre a mobilidade na AP:
"Às operações de criação, extinção, fusão e reestruturação de laboratórios do Estado previstas na presente resolução é aplicável a legislação em vigor sobre reorganização dos serviços públicos, e ao respectivo pessoal, a legislação sobre mobilidade na Administração Pública."
Deixa muito para pensar, nomeadamente sobre a forma como irão olhar para os ditos recursos. Questões que coloco:
  • irão mover as pessoas em blocos de acordos com as áreas em que estão inseridas (o que acontece às unidades que não são referidas nesta resolução)?
  • irão mover as pessoas de acordo com as categorias profissionais em que se encontram (o que acontece a quem está ligado a projectos de investigação mas inserido em carreiras técnicas)?
  • como irão ser tratados os bolseiros (como será feita a renovação de contratos de bolseiros que dão apoio aos projectos em curso, se os laboratórios com os quais têm contratos forem extintos)?

tags:

Agregar informação no contexto interno através de tags

No evento que se encontra a decorrer (BlogTalk Reloaded em Vienna), Alexandre Passant falou sobre a utilização de software social nas organizações, com recurso à utilização de blogs no contexto interno e agregação de informação através de palavras-chave dos utilizadores (folksonomias) associadas a palavras-chave controladas para a optimização do fluxo de informação nas organizações, através de um caso real em que foi implementado.

Artigo de suporte à comunicação - Alexandre Passant, Jean-David Sta & Philippe Laublet (2006), Folksonomies, Ontologies and Corporate Blogging, BlogTalk Reloaded, Vienna, October 2-3:

"This paper sets out different approaches to use and enhance folksonomies within an internal blogging platform. After introducing how users adopted free-tagging methods, we will present interfaces and textanalysis tools designed to solve some of the issues that we encountered regarding this classification scheme. Then, we will detail an original approach that mixes folksonomies and ontologies in order to add meaning to tags and find similarities between posts using Semantic Web technologies. Finally, we will present our semantic search engine that takes the previous enhancements into account to offer a better information retrieval experience to our users."

tags:

2006/10/01

Apontamentos SHiFT

A mudança (ou SHiFT ;-) trouxe-me muito material para reflectir e incorporar no que tenho vindo a fazer. Essas reflexões não irão aparecer nesta entrada, mas irão ser detectadas na forma de olhar para o que me rodeia, em novas formas de pensar estes espaços e nas suas implicações na forma de trabalhar.

A oportunidade de estar durante 2 dias com algumas pessoas conhecidas, outras com quem nunca tinha tido oportunidade de meter conversa e outras ainda que não conhecia (mas que será difícil esquecer). Conferência possível pela vontade inicial de 3 pessoas que acreditaram numa ideia e a fizeram acontecer [tive que dar a mão à palmatória, pois nunca pensei que iriam conseguir, quando inicialmente falei com o Hugo].

Em si mesma, a organização do SHiFT constitui um caso português de viragem e de novas formas de agir sem recursos organizacionais (e com toda a responsabilidade que isso implicou, incluindo os compromissos assumidos com os custos inerentes a uma conferência com oradores internacionais). Os patrocínios vieram depois e mostram que há organizações que se apercebem das oportunidades criadas. As mudanças já estão a acontecer mas alguns (a maioria?) ainda estão à espera... talvez do SHiFT07 :-)

Como podem adivinhar, um dos tópicos em que estava muito interessada, para além das novas formas de trabalho e de ferramentas de suporte a novas necessidades que se vão sentido no trabalho em equipas geograficamente dispersas, foi a questão relacionada com a introdução de weblogs no contexto organizacional:

  • Apresentação dos resultados provisórios do trabalho de investigação da Lilia Efimova na Microsoft, que originou, entre outras perguntas da audiência, «como trazer os blogs para dentro da organização?»...
  • .... como resposta, Euan Semple muito acessível para se encetarem conversas sobre a introdução de blogs e outro software social com base na sua experiência na BBC, apesar de a apresentação não se ter limitado a estas questões - The quiet revolution: How social computing will change the workplace forever...
  • ... e a oportunidade de recolher a opinião de quem esteve na sessão «Individual Blog SWOT (?)» o que consideravam pontos fortes e pontos fracos na utilização individual de blogs :-)

Outras questões que foram abordadas e que colheram o meu interesse, passaram por:

  • Concepção de espaços de aprendizagem: comunidades de prática e tecnologias web2.0, pela Beverly Trayner
  • ... e o que acontece quando falamos de blogs e comunidades no mesmo comprimento de onda [tradução livre minha] com alguém como a Nancy White (podem ver aqui os slides)...
  • ... Martin Röll que falou do Tempo para a mudança: como precisamos de modificar a nossa forma de pensar e agir por forma a usar as tecnologias de informação de forma sensata...
  • ... de como nós criamos ferramentas e depois elas nos (re)criam a nós, com Stowe Boyd que, segundo indicação nos slides, cunhou o termo «social tools»...
  • ... Suw Charman que falou num assunto que vem preocupando muitas pessoas e que passam pela privacidade de dados recolhidos pelas mais variadas razões (outras não sabem ainda que deviam conhecer os contornos relacionados com privacidade e que não passam pelos blogs) - Protecting your Bits:In Defence of Digital Liberties, deixando ficar o contacto para que outros grupos que trabalhem as questões da privacidade se liguem entre si. Gostei também muito da resposta que ela deu a uma das questões que uma pessoa colocou - "Learn to let go of your creations, as soon as you bring them into the public arena."...
  • ... e a sessão que fechou a conferência, com David Galipeau a falar sobre SHiFTing Societies e que trouxe como metáfora para o início da sessão uma folha com um registo sismíco, fazendo alusão a que as mudanças a que estamos a assistir ainda se encontram na fase dos registos prévios à ocorrência do sismo (a mudança, nas palavras dele, o levantar vôo para uma nova forma de sociedade). Para aqueles que receiam o digital divide, achei curioso os dados que ele apresentou: "every person online impacts 8 people offline"

Outras ouve que me prenderam a atenção e cativaram o olhar. Como a do Leonel Moura com os seus robots que pintam de forma autónoma (o que me fez pensar no trabalho do Vitorino Ramos), Kevin Cheng que falou na comunicação de conceitos através da banda desenhada (muito útil quando queremos transmitir questões mais complexas) e Dannie Jost com "A very unsexy subject: Patents and Software".

Your Turn

PS - Pena algumas pessoas não terem aparecido para ouvir que também por cá as coisas estão a mudar, incluindo...

; ; ;