2006/12/09

individual vs organizacional blogging dimensions study

Estou com a sensação que este estudo da Lilia Efimova estará a passar despercebido, pelo menos no que diz respeito ao espaço português e para todos aqueles que se questionam sobre as utilizações de blogs no contexto organizacional.
Ela tem estado a recolher as opiniões de bloggers e explica o que se pede em cada uma das dimensões Personal vs. business dimensions of employee blogging:
"One of the things I'm trying to do is to figure out how to talk about work-related blogging given that this is something in between personal and business interests. A weblog by someone who works for a company (=talking about employee blogging here) could be anything between my personal diary that doesn't have to do anything with my work and it's not really me blogging, but my work."
(...)
"In case you want to try it for your own weblog: use empty image or .xls file. Don't forget to link back or let me know in some other way :)"
Aqueles que têm seguido este blog ao longo dos anos, estarão a par das motivações para a criação do b2ob. O próprio nome do blog teve origem no seu enfoque temático: Barreiras e Oportunidades Organizacionais ao Blogging (B 2 x O B, simplificando, B2OB), tal como se encontra reflectido nas minhas respostas:

personal vs business - b2ob

A introdução dos blogs no contexto organizacional em que me insiro, tem sido um processo demasiado longo. A primeira acção de formação, em contexto organizacional formal, teve lugar este ano, seguida de sessões práticas de criação de blogs (do individual para o grupo). Réplicas dessa acção de formação já começaram a ter lugar através da inclusão de materiais e referências, que foram disponibilizadas na acção inicial, noutras acções de formação internas. O feedback anónimo que recolhi dos participantes, no final da sessão, confirmou alguns dos meus receios: o ponto de viragem para a utilização dos blogs no contexto organizacional terá que ser impulsionado/incentivado/mostrado através da prática e existência de blogs de quadros de topo na organização, sobretudo no que toca a organizações onde a partilha não é norma, onde o medo impera e onde a cultura organizacional existente é inibidora da livre iniciativa.

2 comments:

  1. Monique,
    Sobre a ..."existência de blogs de quadros de topo na organização", já colocámos o nosso Vogal Executivo a blogar (http://zoe-felicidade.blogspot.com) a partir do 7º Curso do CAP. Foi uma experiência gratificante e inovadora feita cá pelas nossas bandas, baseada know-how que tão bem soubeste transmitir no curso que fazes referência neste post.
    Bacci,
    Fátima

    ReplyDelete
  2. Olá Fátima :-)

    Uma coisa é familiarizar as pessoas com os blogs, para as quais penso que as acções de formação são um bom primeiro passo...

    ... a outra consiste em integrar os blogs na prática organizacional, incorporando-os no sistema de informação organizacional.

    As excepções (e não a regra) continuam a ser os blogs que se mantêm para lá da acção de formação. Mas também pode ser que as pessoas resolvam, durante os primeiros tempos, criar outros blogs com outras contas de utilizador, mantendo o anonimato até perceberem se é seguro «dar a cara».

    Claro que isto são as minhas ruminações de fim de dia.

    Beijocas

    ReplyDelete