2005/04/16

Utilização de Blogs na Gestão de Projectos

Tenho tido pouco tempo para ler o meu agregador de informação (bloglines), e só agora reparei numa entrada: Mopsos - Blogging for Project Management:

"I still haven't figured out a simple way to install a blog server within my company's VPN without asking for permission from people who don't have a clue, and who will pretend we can do exactly the same using the company portal."


Tenho tido o mesmo tipo de problemas. Estou convencida que a grande questão reside mesmo no facto de "as pessoas não fazerem ideia" do que poderiamos ganhar em termos de rentabilidade, comunicação, envolvimento e partilha nas equipas de projecto. A minha estratégia tem sido identificar pessoas dentro da organização em que trabalho que, penso, terem facilidade em compreender o potencial na utilização dos blogs, à qual, sempre que oportuno, tenho demonstrado, através da remissão de entradas que tenho colocado aqui, de trabalhos realizados noutros contextos e de práticas que venho documentando, também neste espaço.

Uma das questões que me tem sido apresentada, recorrentemente, é a questão da privacidade. Claro que, mesmo quando enviamos uma mensagem por correio electrónico, temos que ter a noção da informação que se pode partilhar e da informação que se destina a uma comunidade restrita.

Conseguir que uma ferramenta como os weblogs fosse instalada num servidor de acesso restrito, dentro da organização, seria o ideal. Mas se continuarmos à espera que tal passe a ser uma prática instituída, ainda teremos que esperar algum tempo.

Uma das alternativas que me ocorre reside na identificação de recursos partilháveis, tal como as fontes de informação que são utilizadas ao longo dos projectos pelas pessoas. Exemplo das fontes de informação que servem para explorar a temática (artigos, monografias, apontadores, comunidades, notícias, pessoas-chave, etc.). Para além de se estarem a partilhar recursos, está-se também a promover, de forma activa, a contribuição de cada um para esse mesmo projecto, sem necessidade de intermediação. Evita-se também a duplicação (exponenciação...) de esforços dispendidos na recolha.

Uma das formas de o concretizar, sem dispender recursos adicionais, é tirar partido das possibiliades de manter um weblog colaborativo. Ou seja, o mesmo blog para o qual se convidam (se dá acesso) as pessoas que fazem parte do projecto. Um projecto, equivale a um blog. Esse blogoprojecto pode por sua vez vir a estar ligado a outros blogoprojectos, que podem tirar partido dos recursos já identificados em projectos anteriores ou a decorrerem.

Mas o que me parece uma evidência, sobretudo em tempos de escassos recursos (humanos também!), desde os primórdios deste blog, parece que ainda não fez eco junto de quem pode dar o aval para que isso se concretize. É caso para dizer "que santos da casa não fazem milagres" ;-)
PS - Outra entrada que me tinha escapado, já que estamos a falar em equipas (pessoas), 4 exemplos de leituras sobre weblogs e comunidades, do Martin.

No comments:

Post a Comment